domingo, 26 de outubro de 2008

Avaliação do projeto Eleições 2008

Finalizado o projeto de Eleições 2008, onde disponibilizamos espaço para 22 candidatos apresentarem suas propostas à comunidade, redigimos este documento com a finalidade de gerar uma avaliação crítica sobre os objetivos propostos e obtidos. Com isso desejamos gerar subsídios para nova execução deste projeto nas futuras eleições.

Proposta:
Promover à comunidade maior consciência quanto ao voto consciente, auxiliando estas a assumirem a responsabilidade de cidadãos preocupados com o bem comum e com a vivência dos valores do Reino de Deus, possibilitando assim a construção de uma sociedade mais justa, solidária e fraterna.

Divulgação:
Como meio de divulgação foram utilizados os avisos efetuados nas missas e cartazes fixados nos murais da paróquia.
As reuniões de CPP, Conselho Pastoral Paroquial, foram utilizadas para apresentar o projeto aos coordenadores de pastorais e movimentos, solicitando que estes enviassem ao menos um representante para cada apresentação.

Candidatos:
Participaram deste projetos 22 candidatos, sendo 19 ao cargo de vereador e 3 ao de prefeito, conforme a relação abaixo:

Prefeitos
Maria Lúcia Prandi - PT
Mariangela Duarte - PSB
João Paulo Tavares Papa - PMDB

Vereador
Jerônimo Lucena - PT
Alexandre Perciavalle - PT
Sidney Gaspar - PMDB
Roberto dos Anjos - PPS
Cassandra Maroni Nunes - PT
Sidney Antonio Verde - PT
Antonio Pereira da Silva - PP
Marcus de Rossi - PMDB
Paulo Murat - PPS
Paulo Cesar Peres (Borboleta) - PSB
Eustázio Alvez Pereira Filho - PTB
Augusto Duarte - PSDB
Telma de Souza - PT
Fabio Ayres - PMN
Marcelo Del Bosco - PPS
Miguel Blanco - PV
Reinaldo Martins - PT
Alcides Fonseca - PMN
Sandoval do Nascimento Soares - PSDB

Apresentação do Termo de Compromisso:
O termo de compromisso foi elaborado com o intuito de evitar que a imagem do pároco, da igreja, do grupo e da própria comunidade fosse vinculada a qualquer candidato, evitando que transparecesse um apoio eleitoral.
Quando dessa apresentação todos os candidatos, que haviam demonstrado interesse em participar deste projeto, foram convidados a participar da reunião onde o termo foi apresentado e assinado, assim como as dúvidas que foram apresentadas foram sanadas.

Apresentação da agenda:
O método de distribuição de datas e horários disponíveis ocorreu da maneira mais democrática possível, sendo esta apresentada aos candidatos e estes se apresentando como interessados neste nas datas. Quando da ocorrência de dois, ou mais, candidatos pleitearem a mesma data, estes entraram em acordo, sem a necessidade da interferência do grupo.

Participação da Comunidade:
A comunidade não demonstrou interesse neste projeto, tendo comparecido minimamente para o candidatos mais favorecidos e se ausentado por completo quando da apresentação de candidatos sem expressão nos meios de comunicação.
A solicitação para que cada pastoral ou movimento enviasse um representante não surtiu efeito, pois nem mesmo estes fizeram questão de participar.

Avaliação do grupo:
O grupo elaborou a sua avaliação conforme sob 2 (duas) óticas distintas, conforme apresentadas a seguir:

1) Comunidade:
Devido a falta de participação da comunidade, entendemos que o projeto não atingiu seu objetivo. Entendemos que a falta de credibilidade em nossos governantes e representantes seja o principal motivo dessa ausência.

2) Candidatos:
Neste ponto divergimos quanto ao candidato ter atingido seu objetivo, pois não tendo a participação da comunidade os candidatos se apresentaram muitas vezes para uma platéia composta por apenas 2 elementos, o que impediu que as horas de participação no projeto fossem utilizadas em locais de maior concentração de pessoas. Porém destacamos que foi uma ótima oportunidade, para as pessoas que se dispuseram a assisti-los, de conhecer os projetos dos candidatos, ou mesmo questionar algumas ações dos que participavam do processo eleitoral em busca de reeleição.

Conclusão:
Apesar de não atingirmos o objetivo do projeto, o grupo, tendo consciência que deu o seu melhor para a sua execução, entende que a causa da ausência da comunidade está na história política nacional, que com tantos anos de mazelas e escândalos gerou a falta de consciência política no indivíduo, considera que foi uma iniciativa importante para o crescimento político individual de cada elemento do grupo.

2 comentários:

Rose Peres disse...

Após tudo isto colocado, me vem uma pergunta: O que fazer para resgatar no nosso povo sofrido, cansado de tantas mazelas , de uma política viciada , a força e vontade para lutar, para transformar a sociedade? O que fazer para despertar ao menos em nossa comunidade a importância do voto, o que é, para que serve?
Precisamos fazer algo , precisamos arregaçar as mangas e queimar os neurônios, não podemos nos contaminar com o conformismo eminente em nossa comunidade.Como cristãos , precisamos nos unir e jogar sementes, começando dentro da nossa própria casa.O Reino dos céus começa aqui!Que o Senhor nos faça vosso instrumento e ferramenta nesta lida. Amém.

Francisco E. Surian disse...

Muito bem. Antes de mais nada, quero dar os parabéns ao grupo. Acredito que houve a possibilidade de abrir novos caminhos. Os resultados nem sempre são como gostaríamos. Porém, sempre apontam para os nossos desafios.
Penso que o mundo da política é um grande desconhecido de nossas comunidades. Aprendemos, desde de pequenos: igreja é lugar de rezar... E fica difícil pensar diferente. É preciso perceber o valor dos novos caminhos, e conhecê-los para se poder gostar deles. (Também respondendo à Rose, eu diria:) Acho que é necessário criar estratégias para que o mundo da política, da atividade do legislativo e do executivo transformem-se em velhos conhecidos de nossas comunidades. Informando o que acontece durante o ano. Colocando pequenas notas no mural, no jornal paroquial (também no diocesano, rsrsr). Sem nunca esquecer que este é um trabalho de longo prazo... Grande abraço para voces...